Home Eventos Mercado de biometria deve movimentar US$ 15 bilhões até 2024

Mercado de biometria deve movimentar US$ 15 bilhões até 2024

0
0

Novas tecnologias essenciais para ampliar a oferta de serviços, driblar a desburocratização, proteger pessoas, inibir fraudes e crimes de falsificação de documentos estão cada vez mais ao alcance dos cidadãos, das empresas e instituições públicas e privadas, a partir o uso de biometrias e tecnologias de identificação humana. “Tal tecnologia aplica-se nas mais diversas áreas, como: finanças, varejo, e-commerce, segurança, saúde, governo, educação e dispositivos de consumo”, explica Luciano Baptista, responsável pelo Biometrics HITech, evento especializado em biometria, realizado na capital paulista no início de novembro.

Segundo Batista, há muitas novidades e tendências neste importante mercado, que está em expansão no mundo e que deve atingir os US$ 15 bilhões até 2024. Confira abaixo algumas soluções disponíveis:

A Akiyama, empresa de Curitiba, vendeu para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o Biocrypto, um leitor ótico que alcança as camadas digitais mais profundas do dedo, que foi um dos destaques do evento. Trata-se de uma solução de identificação de impressão digital com criptografia que utiliza leitores de captura certificados pelo FBI. Para combater o número de crianças desaparecidas no País ou mesmo trocadas em maternidades, a Akiyama apresenta o Projeto Neonatal que consiste no cadastramento do recém-nascido vinculando à biometria da mãe, ainda na sala de parto, e já em fase de desenvolvimento em Pernambuco e Rio de Janeiro.

A Gemalto está lançando novas carteiras de identidade, que contêm um chip com leitura biométrica, atendendo a três funções distintas, ou seja, identificação, autenticação e assinatura, proporcionando segurança, confidencialidade e abrindo as portas para os serviços eletrônicos. O novo documento possui várias aplicações como em administrações locais, delegacias, bancos, setor social, saúde, entre outros. Já em uso no Uruguai, o documento (único) vem ao encontro do projeto proposto pelo TSE.

A Thales apresentou um documento de identificação com os dados biométricos criptografados (com leitura de digitais, íris e face) que não permite falsificação. O documento pode ser utilizado, por exemplo, pelo varejo e em empresas de saúde, pois evitam fraudes na compra de produtos e/ou serviços.

A Safran é a única fabricante no mundo a desenvolver um tablet, com certificação do FBI, que permite identificar pessoas, utilizando a digital coletada pelo tablet. Já usado pela polícia dos Estados Unidos e França, o equipamento opera de modo remoto e consegue identificar pessoas que estejam sem documentos de identidade. Ideal para uso em bancos, telecomunicações e pela polícia.

A Vision-Box desenvolveu o controle de fronteiras pelo uso da autenticação biométrica automática da face projetado para uso em aeroportos. O passageiro maior de idade (18 anos) com um passaporte eletrônico pode controlar o próprio processo de imigração e emigração de forma autônoma, sem necessidade de interagir diretamente com a Polícia Federal. O equipamento já está em uso no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, Viracopos (Campinas) e Galeão (Rio de Janeiro). Para emissão de RG, a empresa já oferece cadastramento biométrico no Faça Fácil, no Espírito Santo.

A Aware possui ampla linha de produtos para cadastramento e identificação utilizando impressões digitais, face e íris. Além disso, introduziu o Face Workbench, que é uma aplicação para análise facial, com o objetivo de auxiliar especialistas na avaliação de imagens faciais e como ferramenta complementar aos sistemas de reconhecimento facial. Apresentou ainda uma solução para detecção de vivacidade aplicado à validação de usuários em plataforma móvel.

A Biomatica representa, no Brasil, a Innovatrics, que oferece um sistema multibiométrico que identifica a pessoa por meio da face, íris, impressão digital e assinatura (em um único banco de dados), ideal para uso pela Polícia Federal. A empresa também representa a Polygon (de Portugal) que conta com um sistema mobile de biometria de voz, utilizado principalmente por bancos para identificação dos clientes.

A NEC levou ao evento o sistema autorizado de identificação multibiométrica NEC ABIS, projetado para potencializar a pesquisa multimodal, com o suporte de diversas fontes biométricas, tais como: impressões digitais, imagens faciais, impressões palmares e captura de íris. As soluções NEC podem ser utilizadas na identificação civil, na identificação criminal e como motor de pesquisa multimodal.

A 3M apresentou os Leitores Biométricos PIV para Verificação; Leitores Biométricos Appendix F para cadastro civil e criminal (2-2-1, 4-4-1 e Palmar), SDKs; e leitores de documentos para controle de fronteira e idade mínima.

A Montreal desenvolveu um barramento multibiométrico com aplicação em instituições financeiras (bancos). O aplicativo reconhece o cliente (pela voz) e permite que o mesmo acesse a conta bancária por meio de um smartphone.

A HID Global apresentou os novos os módulos e sensores de impressão digital da série V V4xx Lumidigm, que possuem alto desempenho biométrico com criptografia de dedos, projetados para simplificar as transações para os usuários e eliminar fraude para as instituições financeiras e bancos, sistemas de saúde e eleitoral.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *