Brasileiros vivem uma pandemia cibernética, alerta TGT Consult

Receba atualizações em tempo real direto no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O Fórum Econômico Mundial divulgou recentemente uma previsão indicativa que em 2025 as tecnologias da próxima geração vão liquidar defesas e darão início a uma pandemia cibernética mundial. No entanto, a TGT Consult/ ISG alerta que o Brasil já vive uma crise cibernética, mas muitas empresas brasileiras ainda não se deram conta disso em razão de todo o foco estar voltado para a crise e incerteza econômica causada pela Covid-19.

A TGT Consult/ ISG já descreve o cenário como crítico, e alerta que só haverá melhora caso empresas, instituições e governos dobrem seus esforços e investimentos para mitigar riscos cibernéticos. Casos recentes de ataques cibernéticos demonstram isso, como foi  o registrado no final de junho deste ano, um ataque cibernético aos laboratórios da Fleury, que atende hospitais como o Sírio Libanês e A.C. Camargo Câncer Center prejudicou os sistemas desses centros médicos, atrasou na entrega de exames, já que os médicos, enfermeiros e profissionais perderam acesso ao sistema dos laboratórios temporariamente.

É possível que quase todos os brasileiros já tiveram seus dados vazados, abrindo espaço para cibercriminosos, que pagam por dados como telefone, e-mail, dados bancários, endereços, senhas, entre outros para práticas fraudulentas. Especialistas em Informação da TGT Consult ressaltam que um parâmetro mais adequado é o da necessidade de investimento em função dos incidentes que têm ocorrido e das demandas que agora existem em função de regulamentações.

O Brasil movimenta anualmente cerca de US$60 bilhões somente com investimentos na área da tecnologia da informação. O crescimento significativo do mercado de segurança cibernética, impulsionado pelo cibercrime na pandemia da Covid-19, é uma das provas de que o Brasil precisa de maior atenção no tópico cibersegurança, segundo aponta o estudo ISG Provider Lens Cybersecurity.

Comentários estão fechados.