CNJ cria comitê responsável pela prevenção e tratamento de crises cibernéticas

Receba atualizações em tempo real direto no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A cultura de segurança da informação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que inclui medidas de prevenção e tratamento de crises cibernéticas, será promovida pelo Comitê de Governança de Segurança da Informação e de Crises Cibernéticas, instituído pela Portaria CNJ 128/2021.

De acordo com a portaria, publicada em 29 de abril, o Comitê, de natureza consultiva, técnica e operacional, de caráter permanente, terá como finalidade analisar a efetividade das diretrizes da segurança da informação e das ações relacionadas às Crises Cibernéticas no CNJ para proporcionar melhoria contínua.

O Comitê deve propor e acompanhar estratégias, metas e ações de segurança da informação, bem como apresentar resultados decorrentes da implementação. A atuação do Comitê também vai considerar os termos da Resolução CNJ 370/2021, que instituiu a Estratégia Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação do Poder Judiciário e estabeleceu as Diretrizes Estratégicas de Nivelamento.

>> CNJ avança com o Protocolo de Prevenção a Incidentes Cibernéticos

>> Brasil registra mais de 8,4 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos em 2020

>> Pesquisa aponta que empresas globais operam com menos de 40% de seu potencial digital

Assim, será função propor a elaboração e a revisão de políticas, normas e procedimentos inerentes à segurança da informação, além de elaborar proposta e promover atualização periódica de plano com medidas que garantam a continuidade das atividades do CNJ e o retorno à situação de normalidade.

A matéria completa pode ser acessada aqui: CNJ cria comitê

Fonte: Lenir Camimura Herculano/ Agência CNJ de Notícias

Comentários estão fechados.