Europa pretende investir 1,8 bilhão de euros em cibersegurança até 2020

0

Receba atualizações em tempo real direto no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A Comissão Europeia – braço executivo da União Europeia – anunciou hoje uma iniciativa para arrecadar cerca de 1,8 bilhão de euros em investimentos em cibersegurança até 2020. O dinheiro inicialmente virá dos países-membros da União Europeia, mas deverá vir também de empresas e outras fontes privadas no futuro.

Inicialmente, a União investirá 450 milhões de euros nessa iniciativa como parte do programa Horizon 2020 de incentivo à inovação. A organização supranacional também criou a European Cybersecurity Organization (ECSO), que tem por membros empresas do mercado de cibersegurança. A União Europeia espera que os membros dessa organização invistam três vezes mais ao longo dos próximo quatro anos.

O objetivo dessa parceria público-privada, segundo a Comissão, é incentivar a cooperação intra-europeia em pesquisas de segurança digital. O dinheiro será usado para financiar empresas pequenas e médias desse ramo que encontram dificuldades em seus primeiros anos. Espera-se que setores como energia, saúde, transportes e finanças se beneficiam desses investimentos.

Além do investimento, a ECSO também ficará responsável pela criação de uma certificação para produtos de segurança digital. Isso permitirá que produtos desse tipo, como softwares antivírus, possam ser certificados para ser vendidos em todos os países pertencentes à União Europeia.

Mercado único digital

Essa iniciativa também é parte da estratégia de Mercado Único Digital da União Europeia. A ideia da organização supranacional é que, tanto para bens e serviços físicos quanto virtuais, os países-membros possam realizar trocas entre si sem qualquer tipo de empecilho ou burocracia. No ramo digital, contudo, isso exige uma infraestrutura robusta – e segura – de sistemas.

Para que o objetivo do Mercado Único Digital seja atingido, portanto, é necessário que todos os países-membros contem com esse tipo de estrutura. Se, por exemplo, as redes da Itália forem mais vulneráveis que as dos demais membros, é provável que cidadãos de outros países evitem comprar produtos e serviços italianos pela internet. O objetivo do investimento é evitar situações desse tipo.

Há também um motivo econômico muito mais direto para justificar esse investimento. De acordo com uma pesquisa recente, pelo menos 80% das empresas europeias sofreram algum incidente de cibersegurança no último ano. Esses ataques, segundo o The Verge, provocam centenas de bilhões de euros em prejuízo para negócios europeus e para a economia como um todo.

 

Fonte: Olhar Digital

Deixe uma Resposta

CREDENCIAMENTO DISPONÍVEL

Garanta sua credencial gratuita e participe do evento mais esperado para o setor de segurança na América Latina.
CREDENCIE-SE J!
close-link