Indústria é um dos segmentos que mais evoluiu em termos de segurança, afirma especialista

1

Receba atualizações em tempo real direto no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A indústria nacional sempre sofreu com roubo e ações de quadrilhas especializadas, porém, hoje, é um setor que está mais maduro no que diz respeito à segurança patrimonial. Entre as situações de riscos que as empresas e indústrias correm e, se tornam alvo de quadrilhas especializadas em roubos, é na presença de caixas eletrônicos no complexo industrial, além da entrada e saída de veículos, carga e carro forte. Nos registros de grandes ações de quadrilhas em fábricas e indústrias pelo Brasil os bandidos estavam justamente de olho nos caixas eletrônicos.

Porém, conforme Ricardo Franco, diretor nacional do Grupo GR, houve uma mudança de postura para encarar esse problema. “Nos últimos cinco anos, a indústria escutou muito os players de segurança e, dificilmente, quando se entra no local, há caixas eletrônicos e dinheiro circulando”, comenta. “O roubo de produtos dentro do complexo é um risco muito grande para o criminoso, tanto que histórico é baixo se compararmos aos roubos de cargas fora do complexo”, acrescenta Franco.

A segurança patrimonial também evoluiu no ramo industrial. A composição de um projeto de segurança é baseada em uma análise de riscos minuciosa, treinamento personalizado de equipe e soluções tecnológicas aplicadas em parceria com o efetivo humano. Na proteção interna, o controle de acesso e o monitoramento de sistemas de CFTV para visualização e gravação à distância e na nuvem são os mais utilizados pelo segmento. Este sistema permite um envio de imagens totalmente digital e sem perda da qualidade, e o gestor de segurança consegue acessar as gravações em qualquer lugar, seja do celular ou da central.

“Após a implementação do projeto, o papel da segurança patrimonial industrial é disciplinar e organizar processos. Claro que faz parte do escopo evitar invasões e ações de quadrilhas, mas o atendimento e o cumprimento dos processos são os grandes protagonistas”, conclui Franco.

1 Comentário
  1. Carlos Roberto Silveira diz

    resposta a a reportagem Indústria é um dos segmentos que mais evoluiu em termos de segurança, afirma especialista.
    sobre o primeiro e terceiro parágrafo.
    Seguranca nas industrias, pelo menos na regiao do ABCDMR, nao é bem assim.
    O que temos notado é que as empresas de seguranca , para nao perder o cliente, estão propondo e conseguindo colocar nos lugar da vigilancia patrimonial , desde o tal guarda patrimonial , controlador de acesso , o tal fiscal depilo , é só colocar um terno alugado em um trecho , diz ao cliente que para as mudanças dando a sensação de seguranca , pois com o terno quem vê acha que é seguranca, chegamos ao absurdo deus shopping ali perto do sindicato dos metalúrgicos deSBC, a colocar bombeiro civil, calor deve ser aqueles bombeiros que tem treinamento de 10 a 24 h , aqueles curso , oferta do dia, pois o verdadeiro curso de bombeiro civil , é obrigatório ter 220 h de treinamento conforme IT.17/2012, DO BOMBEIROS MILITAR , JA QUE NAO TEM UMA LEI FEDERAL ,PARA O TREINAMENTO.
    HÁ ESQUECEMOS DOS DITOS CONTROLADOR DE ACESSO.os que contratam nao sao orientados em saber que quando voce tem vigilancia patrimonial , as seguradores reduzem o custo do seguro , pois com seguranca regular as chances sao mínimas de acontecer o crime, pois o vigilante esta la.

    ….caixas eletronicos..esses equipamentos quando instalados na área fisico , ou contígua, devem ter vigilante durante o período em que haja movimentação de moeda ou numerário conforme portaria 3233/12, ver artigo 111 , bem como nas agencias ver lei 7102/83 do artigo ao quarto , esses locais tem guarda de dinheiro , claro a na lei deveria ter vigilante , o pior disto tudo , é voce ter o dinheiro em sua conta , e ir ao cx eletronica e nao ter parares sacado , isto contraria o código de defesa do consumidor, se voce quiser usar o dinheiro para ir a uma balada ou mesmo a uma casa de prostituição, , porque é seu direito de onde quiser e gastar seu dinheiro o bel bem prazer.Ai só tem uma saída denunciar a aPF em Brasilia , pois no estado , acho que esta fazendo corpo mole , outro caminho é ao MPF.
    Segundo paragrafo.
    Sobre a seguranca eletronica, quando o artigo fala sobre , o tema so nao se esqueçam de pagar aos trabalhadores desta área, que teve o CNAE alterado e a portaria 1885, diz que este segmento tem direito conforme a portaria 1885 do ministerio do trabalho .que diz que esses trabalhadores tem direito a os 30 % de periculosidade.outra observação de quem contra tal serviço é que uma camera que faz a captura de uma imagem , a 34 frames , so esta com o poder de visão do ser humano , que vê a 34 frases, é melhor comprar com mais capacidade de frases.., pois depende de iluminação e outros informações para que o serviço, seja no mínimo honesto , nao adianta disparar o alarme e dispara na delegacia , pois é voce empresários que esta recebendo do cliente e colocando policia para trabalhar pra você o cliente? Alem de todos ter que se preocupar com as garantias dos contratos , que nunca garante nada.
    Carlos roberto silveira, Santos .29 /12/2016, deste jeito nao da pra desejar um ótimo ano de 2017…

Deixe uma Resposta

CREDENCIAMENTO DISPONÍVEL

Garanta sua credencial gratuita e participe do evento mais esperado para o setor de segurança na América Latina.
CREDENCIE-SE J!
close-link