Oportunidades locais e internacionais tendem a manter o mercado de TIC aquecido

Receba atualizações em tempo real direto no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Depois de crescer 5,1% no Brasil no ano passado, o mercado de tecnologia da informação e comunicação (TIC) deverá evoluir 7% em 2021, segundo projeção da International Data Corporation (IDC). A ampliação do trabalho remoto, que levou empresas a investir em infraestrutura e segurança, aqueceu o setor desde o início da pandemia. Agora, é provável que o cenário favorável se mantenha graças a outros fatores.

André Kepler, diretor executivo da WorkDB, empresa desenvolvedora de softwares e infraestrutura, acredita que o agronegócio, o mercado de logística e a demanda nas regiões Norte e Nordeste farão surgir muitas oportunidades em TIC. “Todas as BigTechs do mundo estão no Brasil por acreditarem que vale a pena trazer soluções de tecnologia e por verem que nosso país tem uma das melhores taxas de crescimento industrial do mundo”, afirma o executivo.

O outsourcing (terceirização) de serviços de TI nas organizações é outro potencial impulsionador do setor. “Atualmente, a maioria das empresas precisa de um suporte de TI, e através da alocação de um funcionário isso é possível de forma econômica, vantajosa e com profissionais altamente qualificados com atendimento 24 horas”, comenta Kepler.

Depois de ter triplicado de tamanho em 2020, a WorkDB prevê dobrar o faturamento nos próximos 12 meses. A empresa, sediada em Blumenau (SC), inaugurou recentemente um escritório na Cidade do México e estuda a entrada no mercado europeu, a partir da Alemanha. “Temos convicção de que é possível levar essa expertise para fora do Brasil, atuando em um mercado global”, acredita Kepler.

Comentários estão fechados.