Tecnologia a serviço da segurança é tema em Fórum

0

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Alfredo Deak Jr., diretor de Justiça e Segurança Pública da Microsoft, abordou nesta manhã o tema “Tecnologia a serviço da Segurança e Prevenção contra a criminalidade”, durante Fórum de Cidadania e Segurança Pública, organizado pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais, em 25 de setembro, no hotel Mercure, em Goiânia. O evento reuniu 319 líderes do setor público e especialistas em segurança, tecnologia e serviços patrimoniais.

Segundo ele, o Sistema de Gestão da Polícia Militar do Estado de São Paulo – GESPOL, visa tornar o policiamento inteligente por meio de processos de gestão. Ele consegue levar em consideração quantas pessoas residem em determinada região e, a partir daí decidir o número de policiais que atenderá aquela comunidade. “O único projeto de trocar rádios por computadores de bordo nas viaturas gerou uma economia de 300 milhões de reais. Investir, portanto, acaba sendo sinônimo de economizar.

“Quando se fala em tecnologia, o primeiro passo é definir o que é prioridade. Podemos investir em: telefonia, equipamentos, dispositivos, datacenter, o que realmente importa é que ela tem que estar nas mãos de quem toma decisão”, afirmou Deak. O único projeto de trocar rádios por computadores de bordo nas viaturas, gerou economia de 300 milhões de reais.

O policial que está na viatura tem que saber o que acontece na região em que está atuando, para sua própria segurança e para agilizar a ação. Em São Paulo, nós centralizamos o 190 no interior, o que resultou em 40% de redução de policiais em escritórios e aumento em campo. O futuro da tecnologia será fundamental para a segurança – os times de futebol se encontram em ruas, há brigas, violência, mortes -, uma vez que com o uso da mídia social a polícia pode chegar antes e evitar que isso ocorra.

Questionado por necessidade de manter contingente policiais dentro de delegacias por Washington Cinel, presidente do LIDE SEGURANÇA e da Gocil, Deak afirmou que o ideal é que todo o atendimento seja feito pelos policiais que estão na rua, desde que tenham o equipamento necessário.

Miguel Cañella Vicens, adido policial da Espanha no Brasil, afirmou que a estratégia de segurança da polícia europeia é buscar atender as ocorrências criminais, mas também estabelecer a inovação tecnológica para assegurar a Segurança Pública. Afinal, Segurança Pública é uma questão de todos, não só da polícia”. O agente principal é o cidadão e o usuário final que é o policial, deve estar inserido na inclusão da tecnologia, concluiu.

Respondendo a questionamento de João Doria, em relação ao Detecta, Alfredo afirma que o programa é capaz de unificar informações: “Hoje, trabalhamos com vídeo analítico. Por exemplo, se a pessoa entra no banco, é possível identificar se o documento é verdadeiro ou falso”, afirma. O conceito do Detecta foi um avanço, pois cada unidade da polícia pode ficar com a propriedade da sua informação. Entretanto, é preciso motivar os policias para que usem a ferramenta. Além da burocracia, que dificulta a integração de informações; muitas vezes, a adoção da inovação ainda é um paradigma difícil para os policiais.

Na Europa, o preso é obrigado a usar pulseira enquanto está recluso, e quando eles saem, o direito à intimidade não permite o monitoramento de qualquer pessoa. Temos que mudar a lei penal, para que seja feita uma inspeção antes da saída do ambiente prisional. Nos Estados Unidos, por exemplo, o preso não recebe ninguém em sua cela. Há um espaço reservado, onde ele é revistado quando entra e quando sai, para receber visitas, advogados etc.

Ao final do evento, Luiz D’Urso, presidente do LIDE JUSTIÇA, leu a carta legado. A conclusão é sobre a necessidade da existência do binômio inteligência-tecnologia para dar mais garantia ao cidadão, tornar o combate ao crime mais eficiente, dotando nossas polícias de melhores equipamentos tecnológicos.

Com o patrocínio da GOCIL E W/TORRE, o Fórum de Cidadania e Segurança Pública conta com o apoio institucional do GOVERNO DE GOIÁS. São fornecedores oficiais a CDN COMUNICAÇÃO, ECCAPLAN e TALENT. Jornal O POPULAR, PRNEWSWIRE, rádios CBN e EXECUTIVA, revista e TV LIDE são mídia partners.

Leave A Reply