Exposec Virtual 2021 apresenta os avanços do Programa Nacional de Inovação Terra2 Inova

Receba atualizações em tempo real direto no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O PNIT2I promove ações conjuntas com academias, centros de pesquisa, governo, empresas de TI e comunicação, associações e agências de fomento.

Um dos espaços mais visitados este ano na Exposec Virtual – Feira Internacional de Segurança foi a llha da Inovação, onde foram apresentados, por meio de vídeos e outros materiais,  os projetos e a evolução do Programa Nacional de Inovação Terra 2 Inova (PNIT2I), que se tornou um importante ecossistema de transformação digital no país. O programa nasceu das ações conjuntas ocorridas a partir do final de 2017 entre a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança – ABESE e o Fórum Brasileiro de IoT. Já em 2018, o programa foi anunciado na Exposec.

Robson Arantes, presidente do PNIT2I e coordenador do comitê de IoT da ABESE, conta que o programa também está sendo uma atividade extracurricular para os alunos do Instituto Federal do Ceará (IFCE) conhecerem as iniciativas e a trajetória do Terra2 Inova.  

Exposec Virtual 2021 apresenta os avanços do Programa Nacional de Inovação Terra2 Inova

O programa promove ações conjuntas com academias, centros de pesquisa, governos municipal, estadual e federal, empresas de tecnologia da informação e comunicação, associações e agências de fomento; destacando-se o reconhecimento do Ministério de Ciência,Tecnologia e Inovações – MCTI pela execução de diversas ações realizadas pelo PNIT2I.

“Temos acompanhado todas as câmaras temáticas do MCTI, que há muito tempo nos apoia. Agora, estamos na primeira fase piloto do projeto cidades inteligentes em 30 municípios brasileiros para constituir a Carta Nacional das Cidades Inteligentes, revela Arantes.

Dentre outras ações já executadas pelo PNIT2I estão seminários, congressos, desafios tecnológicos e as ações acadêmicas em inovação, como o “COMPETEC PNIT2I”, eixo acadêmico para o desenvolvimento das competências empreendedoras; e o projeto “embaixadores caninos”, idealizado pelo Instituto de Tecnologias Exponenciais – ITEX , que leva tecnologias de IoT para alunos, professores e comunidades no entorno da Universidade.

Herberto Yamamuro, do ITEX, explica que o “Caninos Loucos” foi criado com o propósito de ser uma plataforma aberta e econômica para o desenvolvimento de IoT. “Já temos uma parceria comercial com a organização do PNIT2I para levar esta iniciativa aos setores de inovação e da indústria. Essa parceria  está apoiada em três vertentes: 1- desenvolver  soluções para atender municípios grandes, médios e pequenos com foco em cidades inteligentes, especialmente nas áreas da saúde, educação, segurança e agro; 2- buscar clientes que necessitam de plataformas para disseminar soluções sejam como operadoras ou integradoras de segurança pública e privada para iniciativas de pequeno e médio porte; 3- capacitar e desenvolver competência em ciências digitais com a participação de escolas de ensino médio e fundamental e também ter alunos “embaixadores caninos” para estimular novos projetos.

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa – RNP também tem atuado em várias frentes para oferecer serviços personalizados e promover projetos de inovação a universidades, institutos de educação e cultura e agências de pesquisa em todo o país. Emílio Nakamura, diretor de Cibersegurança da RNP, explica que a plataforma digital conecta mais de 1.600 campus com a missão de impulsionar a educação e o desenvolvimento social e econômico por meio da Tecnologia da Informação. “Temos apoiado os replicadores das COMPETECs, criando conteúdos de segurança cibernética para a comunidade acadêmica. A transformação digital passa também pela Lei Geral de Proteção de Dados e, por isso, queremos continuar contribuindo com o Terra2 Inova”.

Comentários estão fechados.