Aplicativo usa inteligência artificial para substituir relógios de ponto

Receba atualizações em tempo real direto no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Promover o controle da jornada dos funcionários em empresas que contam com equipes em diferentes instalações sempre foi uma dificuldade para os gestores, seja pelo custo dos equipamentos ou pela dificuldade de manutenção de cada um deles. E, durante a pandemia de Covid-19, com milhares de trabalhadores atuando remotamente, o desafio ficou ainda maior.

Para ajudar com esse problema, acaba de ser lançado o Fastpoint, aplicativo de controle de ponto que utiliza recursos de inteligência artificial. A startup recebeu investimento da T4Agro, incubadora e aceleradora de tecnologias inovadoras para o agronegócio.

O Fastpoint permite o controle da jornada de trabalho dos funcionários com recursos de reconhecimento facial e geolocalização. Ao chegar no local de trabalho, o colaborador faz uma selfie usando o app. Automaticamente, ele identifica o funcionário e, por meio do GPS do aparelho, confirma que ele se encontra em seu local de trabalho, registrando o horário de entrada. O mesmo processo é feito no momento na saída para as refeições, assim como no encerramento da jornada.

Para o gestor, o Fastpoint oferece praticidade e agilidade, já que os dados são registrados automaticamente, sem a necessidade de se fazer qualquer tipo de coleta, como acontece nos relógios de ponto comuns. Além disso, é possível fazer o registo offline, caso os funcionários estejam em locais sem acesso à internet.

De acordo com Júlio Mila, CEO da T4Agro, o novo aplicativo também se diferencia pelo custo atrativo para as empresas. “Fazer o registro de jornada de trabalho sempre foi uma dificuldade para grandes empresas, em especial aquelas que contam com várias equipes em campo, como é o caso de muitas que atuam no agronegócio”, diz.

Ele afirma ainda que as companhias que tenham funcionários atuando de casa, em função da pandemia, poderão usar o módulo home office do Fastpoint de forma gratuita, por tempo limitado.

O aplicativo já foi implementado pela UISA, empresa do setor sucroenergético, e vem sendo utilizado pelos cerca de 2.300 funcionários da empresa – controlada pelo fundo de private equity CVCIB, criador da T4Agro. A adoção do aplicativo substituiu o uso de 200 relógios de ponto físicos, que necessitavam de manutenção periódica e troca a cada cinco anos.

“No caso da UISA, a estimativa é que a empresa economize cerca de R$ 1 milhão por ano por utilizar o Fastpoint”, explica Mila. Segundo ele, A expectativa é que a startup encerre seu primeiro ano de atividade atendendo por volta de 25 mil funcionários, em diferentes empresas.

Comentários estão fechados.