Empresas de cibersegurança oferecem boas oportunidades para investidores

Receba atualizações em tempo real direto no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Um ataque cibernético aos servidores da JBS obrigou a empresa a pagar US$ 11 milhões (cerca de R$ 60 milhões) em resgate aos hackers. A invasão digital à maior empresa de processamento de carne do mundo gerou problemas em suas unidades nos Estados Unidos, Canadá e Austrália, que ficaram temporariamente fechadas.

O ataque foi realizado por um ransomware, que consegue “sequestrar” os dispositivos da vítima para cobrar dinheiro em troca da retomada do controle.

Embora tenha chamado a atenção em razão da extensão dos dados, a invasão não é mais uma raridade. Um estudo da empresa de dados americana Audit Analytics mostrou que o número de ataques cibernéticos cresceu 400% entre 2011 e 2019 entre empresas listadas em bolsa nos Estados Unidos.

Desde então, os riscos apenas cresceram, com a migração de muitas operações para o home office em razão da pandemia do novo coronavírus e do aumento da dependência tecnológica das empresas globais.

Reportagem da Exame mostra que, além de exigir maior preocupação das companhias com a segurança cibernética, o aumento de casos pode gerar boas oportunidades de investimentos.

Citando a Avenue Securities, corretora nos Estados Unidos para brasileiros, o texto sugere que o investidor fique de olho em empresas com foco na prevenção de violações desse tipo.

Muitas delas, contudo, ainda são pouco acessíveis ao mercado nacional. Isso porque as empresas brasileiras do setor não estão listadas em bolsa, e a oferta de companhias estrangeiras via BDRs (certificados que representam ações emitidas por empresas em outros países) também é escassa.

Entre as oito empresas citadas pela Exame como boas oportunidades, apenas três possuem BDRs. São elas: Cisco Systems, Atlassian e Fortinet. Para as demais – CrowdStrike, Ping Identity, CyberArk Software, Proofpoint e Zscaler – o caminho é investir diretamente no exterior.

Ainda de acordo com a reportagem, outro caminho é investir via fundos que aplicam seus recursos nessas companhias no exterior.

Comentários estão fechados.