Home Artigos Para especialista, câmeras de segurança precisam ter alta resolução
0

Para especialista, câmeras de segurança precisam ter alta resolução

0
0

 por Fabio Nascimento

Há alguns anos, a opção que tínhamos quando falávamos em sistema de CFTV de alta resolução eram as câmeras IPs. Câmeras de resolução HD e Full HD eram sinônimo de alta qualidade, sendo o foco dos projetos da maioria dos clientes de médio e grande porte, incluindo órgãos públicos. Correndo em paralelo, os sistemas HD-SDI também possuíam equipamentos de alta resolução, porém com um custo elevado, o que inviabilizava sua popularização.

Para trabalhar com equipamentos de CFTV IP também era necessário ter conhecimentos mínimos da área de redes como, por exemplo, endereçar os equipamentos, liberar as portas de comunicação em um sistema de firewall, entre outros. Neste cenário, alguns profissionais que não conheciam bem a parte de redes ficavam sem uma opção de sistema de CFTV para oferecer aos seus clientes, a não ser o tradicional analógico de baixa resolução.

Existe grande diferença entre uma imagem capturada em câmera analógica e em câmera IP. A maioria das câmeras analógicas tradicionais possuem um sistema de escaneamento entrelaçado, que gera borrões na imagem no monitoramento de objetos em movimento. Sua resolução é mensurada em linhas e digitalizada em gravadores do tipo DVR (Digital Video Recorder) e, na maioria das vezes, armazenadas em resolução 4CIF (0,3 Megapixels). Já uma câmera IP, de resolução Full HD, possui um sistema de escaneamento progressivo, melhorando a visualização de objetos e pessoas em movimento, eliminando os borrões e são armazenas em resolução de 2.1 megapixels.

Sem dúvida, é uma batalha desleal. Na prática, com uma câmera IP podemos capturar imagens com riqueza de detalhes, o que permite a identificação de pequenos objetos, faces, placas de veículos e, até em casos mais específicos, as marcas de nascença de uma pessoa.

A questão, portanto, era como popularizar os sistemas de alta resolução, mantendo a infraestrutura dos sistemas analógicos tradicionais a custo acessível, sem a necessidade de profundos conhecimentos de redes? É aí que entram em cena os sistemas de alta resolução analógicos.

Denominados como HD-AHD, HD-TVI e HD-CVI, cada um deles tem suas particularidades, mas na prática entregam imagens de alta resolução. Os pontos em comum entre eles são a qualidade das imagens (mais populares HD e Full HD), custo acessível (muito próximo ao de um equipamento analógico tradicional), fácil configuração (os menus de configuração são baseados nas mesmas opções de um sistema tradicional), escaneamento progressivo (excelente monitoramento de objetos e pessoas em movimento) e uso da mesma infraestrutura do analógico tradicional (para monitoramento a pequenas distâncias).

A partir disto, conhecimentos básicos em redes passam a ser necessários apenas se o instalador deseja disponibilizar as imagens na internet. Mesma situação que já ocorre nos sistemas analógicos tradicionais.

Dessa forma, a popularização destes equipamentos permite a pequenos comércios, residências, condomínios, escolas, estacionamentos, entre outros estabelecimentos usufruir da alta qualidade de imagem e, consequentemente, melhorar a segurança destes locais. Com isso, podemos concluir que alta resolução em câmeras de monitoramento deixou de ser uma opção e se tornou uma questão de necessidade, presente cada vez mais no dia a dia das pessoas.

 

Fabio Nascimento é engenheiro de Aplicação da Hanwha Techwin America, empresa responsável pela comercialização das soluções de segurança da marca Samsung

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *