Dia da Internet Segura: empresas enfatizam ações preventivas contra golpes e riscos

Receba atualizações em tempo real direto no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Com o objetivo de voltar a atenção da sociedade para a prevenção de golpes e para os riscos na web, 8 de fevereiro ganhou destaque em todo o mundo com o Dia da Internet Segura. Desde 2017, nesta data tem-se uma série de ações e eventos de conscientização acerca do uso de plataformas digitais. No segmento do varejo, os olhares se voltam para as compras pela internet. A demanda por esse tipo de serviço vem crescendo a cada dia. A pesquisa The Global PaymentsReport 2021, desenvolvido pela Worldpayfrom FIS, aponta para uma expansão do comércio eletrônico de 11,9% no Brasil até 2024.

Nesta entrevista, Marcelo Góes, head de Produtos e Serviços da FIS, uma das maiores empresas de tecnologia financeira do mundo e provedora de soluções de tecnologia e inovação para bancos e instituições financeiras, mercado de capitais e varejo, apresenta dicas de como o consumidor pode se proteger no ambiente digital, seja acessar contas bancárias ou efetuar comprar online.

 

Temos cada vez mais plataformas para comprar online. Muitas delas têm o seu próprio meio de pagamento. Como saber se esses métodos são seguros?

Marcelo Góes: Com o desenvolvimento de novos produtos digitais e, claro, dos smartphones, os fraudadores têm buscado oportunidades neste mercado, principalmente com relação à obtenção de dados de pessoas físicas e jurídicas, seja por engenharia social, seja por vazamentos de dados por instituições. Porém, os novos métodos de pagamento digitais chegam com novas camadas de segurança às transações e, sim, devem ser vistos como seguros pela população.

 

Como se proteger e evitar ter seus dados e contas roubadas, gerando prejuízo financeiro?

Marcelo Góes: É fundamental o uso de senhas fortes, não anotar senhas no celular, não enviar senhas pelo Whatsapp, efetuar compras em sites conhecidos e certificados, não abrir/compartilhar links e vídeos de desconhecidos, tomar cuidado ao acessar senhas e ao manipular o smartphone em locais públicos. São atitudes básicas, mas que é sempre bom reforçar. E todas estas regras se aplicam também ao uso do Whatsapp como canal de meios de pagamentos.

 

O que o mercado e, principalmente, as instituições financeiras têm feito para proteger os consumidores?

Marcelo Góes: O mercado tem atuado fortemente para coibir a atuação de fraudadores com novos controles, com novas camadas de autenticação, como a validação de um código por celular, biometria – digital, facial e voz – e ainda com educação para o consumidor também se proteger. No Brasil, o volume de transações eletrônicas teve um aumento de 22,2%, e o crescimento do mobile foi ainda maior, com 41,6%, segundo The Global PaymentsReport 2021. Os bancos já trabalham com mais mecanismos, além da senha, para verificar se aquela transação está realmente sendo feita pelo portador da conta. A evolução das biometrias de tokens tem sido um grande trunfo para os agentes de meios de pagamentos e as empresas estão empenhadas em ensinar o cliente a se proteger, o que ajuda a inibir ações fraudulentas.

 

 

Certificados de segurança

 

Outra ação importante neste dia foi da GlobalSign, que  divulgou um recorde de emissão de certificados de segurança, em razão principalmente do aumento de ataques cibernéticos. Autoridade de Certificação (CA) e fornecedora líder de soluções de assinatura digital, identidade e segurança para IoT, anunciou no dia internacional da internet segura, um crescimento significativo de seus negócios de assinatura digital e timestamps.

Enquanto as empresas em todo o mundo buscam proteção contra ataques cibernéticos à medida que se adaptam ao trabalho remoto, a GlobalSign registrou sua maior emissão de certificados, assinaturas digitais, selos digitais e timestamps no ano passado. Em 2021, por meio de sua plataforma de Infraestrutura de Chave Pública (PKI), Atlas, a empresa emitiu 14 milhões de certificados, 28 milhões de assinaturas de serviços de assinatura digital e 117 milhões de timestamps.

A transformação digital está promovendo um grande impacto nos negócios e na produtividade devido às significativas mudanças trazidas pela pandemia. Ao mesmo tempo, os ataques cibernéticos cresceram exponencialmente, principalmente os ataques de ransomware. Com dezenas de milhões de funcionários trabalhando de forma remota, as empresas em todo o mundo precisam realizar transações de forma segura. A combinação desses fatores está impulsionando as soluções de assinatura digital da GlobalSign, cujo uso aumentou ainda mais desde o início da pandemia. Em 2019, os clientes utilizaram dez milhões de assinaturas digitais. No final de 2021 esse número quase triplicou.

“Tivemos um ano excepcional para emissões de certificados, assinaturas digitais e, principalmente, de timestamps. Com o avanço contínuo da pandemia, a taxa de ataques cibernéticos e a transformação digital que vem ocorrendo em todo o mundo, projetamos uma forte atividade para os próximos anos”, disse Mohit Kumar, diretor associado de gerenciamento de produtos da GlobalSign. “A plataforma Atlas provou ser capaz de lidar com uma grande demanda pelo serviço, algo que nos deixa extremamente orgulhosos”, destacou.

 

Segurança no trabalho híbrido

 

Para Anthony Di Bello, vice-presidente de Desenvolvimento Estratégico da OpenText, o Dia da Internet Segura nunca foi tão importante quanto este ano. Segundo ele, a disputa inicial de segurança cibernética causada pela pandemia agora é coisa do passado, e empresas e funcionários em todos os lugares se adaptaram com sucesso às mudanças que ela trouxe. “No entanto, em 2022, enfrentamos um novo problema: permanecer seguro enquanto o trabalho híbrido se torna cada vez mais prevalente em nossas vidas profissionais.

O executivo lembra que os colaboradores continuarão a se conectar a redes corporativas a partir de uma ampla variedade de dispositivos, por meio de várias conexões de internet, desde redes domésticas, cafés Wi-Fi e escritórios. “E até agora, os cibercriminosos têm aproveitado ao máximo: com um aumento de três dígitos nos ataques cibernéticos observados apenas no primeiro semestre do ano passado. A ameaça de ransomware, o impacto da desinformação e os golpes de phishing devem ser uma prioridade para profissionais de segurança da informação, funcionários e consumidores”, diz.

Para Di Bello, a conscientização e a compreensão básica das ameaças são a base para a importância do Dia da Internet Segura em 2022. “Um foco maior em garantir que a segurança esteja na frente e no centro das mentes dos consumidores e dos funcionários. Colocar a segurança cibernética no topo de sua lista de prioridades – manter a si mesmos e os negócios para os quais trabalham seguros”, pontua.

 

Comentários estão fechados.

CREDENCIAMENTO DISPONÍVEL

Garanta sua credencial gratuita e participe do evento mais esperado para o setor de segurança na América Latina.
CREDENCIE-SE J!
close-link