Inteligência aumentada em logística garante segurança e economia

Receba atualizações em tempo real direto no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Empresas que lidam com muitas operações de logística sabem como esse é um setor crítico para o sucesso dos negócios. E a segurança é uma das principais preocupações: somente em 2019 roubos de carga chegaram a R$ 1,4 bilhão. Foram mais de 18 mil roubos, de acordo com a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC).

Mas atualmente, novas ofertas no mercado estão revolucionando a maneira de manter todos os elementos voltados à logística e suprimento funcionando sem atrito. Uma das mais interessantes é a “inteligência aumentada”, que pode ser explicada como um passo adiante em relação à inteligência artificial. Pense em todo os itens que se incluem embaixo do guarda-chuva da inteligência artificial (big data, internet das coisas, machine learning, entre outros) não em prol da automação em si, mas com o intuito de melhorar o trabalho humano.

“Hoje é possível receber alertas em situações de proximidade às áreas de risco, de alto índice de roubos, de acidentes e outros eventos que possam ser críticos, e identificar situações fora do normal que possam ser avaliadas em mais detalhes por um analista de segurança”, comenta André Scher, CEO da auctus.ai. A empresa oferece serviços de consultoria e desenvolvimento de soluções baseadas em ciência de dados, inteligência artificial e automação de processos de negócios (RPA).

Outra funcionalidade é a análise da carteira de habilitação de motoristas da frota, ou avaliação de outras situações que podem impactar a segurança. Mas sistemas com inteligência aumentada também proporcionam economia. “O abastecimento de um veículo fora da base da empresa pode gerar custo adicional de até 30% por litro de combustível – diz Scher – todavia, com esse tipo de tecnologia,  a  plataforma monitora a posição geográfica do caminhoneiro, sua rota, estabelecimentos credenciados, e prevê autonomia e se há necessidade de abastecimento, recomendando ao motorista o local e a quantidade necessária de combustível.

No caso desse tipo de solução, ela vai integrada ao sistema de gestão e de pagamento utilizados pela empresa. Para Scher, a gama de aplicações é quase infinita. Os benefícios podem ser experimentados inclusive na área administrativa e no atendimento ao cliente. Até mesmo os chatbots, já bastante empregados por companhias brasileiras na interface com os consumidores, fazem parte desse universo.

“Basta conhecer as ofertas e ver as necessidades da empresa. A única certeza é: quem não se automatizar nos negócios vai perder tempo, clientes, qualidade e, consequentemente, dinheiro”, conclui o especialista.

Comentários estão fechados.