Acre tem cercamento eletrônico e expande rede digital de segurança para além da capital

Receba atualizações em tempo real direto no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A segurança pública do Acre tem investido em tecnologias digitais. O movimento é liderado pelo Departamento de Gestão Integrada de Segurança Eletrônica e Contramedidas, da Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

Entre os resultados, está o funcionamento de um sistema de cercamento eletrônico. A tecnologia permite o acompanhamento 24h de veículos com restrição criminal em tempo real e câmeras de videomonitoramento instaladas em 29 pontos estratégicos da capital, Rio Branco. O cercamento eletrônico também foi instalado nas cidades de Brasileia e Manoel Urbano, cada município com 10 pontos ativos.

>> 90% dos dados pessoais que circulam na web desrespeitam as leis de privacidades, revela estudo da GDB

>> A busca por segurança digital garante a ascensão do mercado de certificação

>> Hospital das Clínicas, em SP, tem sistema avançado de segurança. Veja como funciona

“Todo o sistema é controlado em um Centro de Comando e Controle. Temos operadores trabalhando 24 horas por dia, acompanhando as câmeras e repassando informações em tempo real aos profissionais que atuam diretamente no combate ao crime nas ruas. Ajuda na recuperação de veículos roubados, auxilia na identificação de pessoas que cometem crimes e também no processo investigativo. Os benefícios são muitos”, diz Alexandre Nascimento, chefe do departamento de gestão integrada de Segurança Pública.

A previsão agora é que a tecnologia de videomonitoramento se expanda para todo o estado, além da implantação de fibra ótica em parceria com empresas privadas. Os municípios de Capixaba e Sena Madureira, por exemplo, já estão em processo de transição. Serão colocados 10 pontos de videomonitoramento em pontos estratégicos das cidades.

Outro investimento que está em fase final de assinatura é a implantação de tecnologia que permite o reconhecimento facial nos pontos onde há maior circulação de pessoas em Rio Branco. O investimento deve facilitar na identificação de possíveis autores de crimes, através do fornecimento de informações pelo banco de dados do sistema integrado de segurança pública.

Comentários estão fechados.