Contenção de vazamento de dados no Brasil enfrenta desafios, diz especialista em cibersegurança

Receba atualizações em tempo real direto no seu dispositivo, inscreva-se agora.

No início de fevereiro, mais de 102,8 milhões de dados de celulares brasileiros foram expostos após vazamento da empresa PSafe. Ainda neste ano, foi detectado o megavazamento de 223 milhões de CPFs, 104 milhões de registros de veículos e 40 milhões de CNPJs. No ano passado, até o STJ (Superior Tribunal de Justiça) foi alvo de hackers.

De fato, existem alguns motivos pelos quais o Brasil, terceiro país que mais sofre tentativas de ataques virtuais no mundo, não tem conseguido combater o problema. De acordo com o especialista em cibersegurança da Connectcom, Marcelo de Souza da Silva, a gestão segura de dados enfrenta uma série de desafios específicos no país, que vão desde a falta de conhecimento de gestores até questões envolvendo políticas públicas.

>> Crimes cibernéticos e LGPD impulsionam mercado de cibersegurança, indica relatório

>> Fórum Fortinet Xperts é lançado para profissionais de cibersegurança

>> O PIX e os novos desafios para a cibersegurança

Ele afirma, também, que tem identificado que os ataques a órgãos de governo são sazonais, o que permite mais capacidade de previsão e, consequentemente, proteção dos sistemas. “Esses ataques são sazonais, portanto, dependendo dos eventos políticos, alguns segmentos são mais ou menos suscetíveis a ataques cibernéticos”, explica o especialista.

Na lista dos desafios que o país enfrenta na área estão:

  • Ações de prevenção são incipientes: gestores ainda veem prevenção como custo, não investimento;
  • Falta de informação: poucos casos são divulgados e quem foi alvo não admite suas falhas e não compartilha esta informação entre outros gestores (com o intuito de mitigar futuros ataques);
  • O Brasil ainda carece de programas efetivos para educar a população contra golpes;
  • Hackers brasileiros têm alto conhecimento técnico e de processos empresariais;
  • Ainda há muita falha humana envolvida e tecnologia insuficiente para monitoramento e detecção de invasão de redes;
  • LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) ainda está engatinhando no país;

Há um mercado ilegal de dados extremamente lucrativo alimentado por empresas compradoras.

Comentários estão fechados.