Reconhecimento facial ganha espaço em projetos de segurança que “decolam” com a pandemia

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Na avaliação da Security Segurança e Serviços, importante player do setor, a evolução desta  tecnologia e outras que estão surgindo trazem novo ânimo para o mercado e os profissionais 

Empresas de diferentes segmentos do mercado têm apostado no uso de sistemas ou dispositivos de reconhecimento facial no combate ao coronavírus. Há projetos voltados para atender aeroportos, shoppings center, escolas, hospitais e até usinas do setor sucroalcooleiro. A Security Segurança e Serviços, importante player no mercado de Segurança Patrimonial, facilities e tecnologia em segurança, acompanha esta evolução de perto e oferece aos clientes soluções integradas.

“O uso do reconhecimento facial é um avanço do conceito de VMS (Vídeo Monitoring System), que traz soluções embarcadas com sistemas de CFTV, controle de acesso, monitoramento com câmera, entre outros”, afirma Marcelo Marques, CCO da companhia. Ele lembra que a demanda aumentou muito com o avanço da pandemia, especialmente em locais onde há grande fluxo de pessoas e também está sendo bastante usado pela polícia.

E razões não faltam para que mais empresas queiram se beneficiar de tecnologias que ajudam a proteger seus colaboradores.  Isso reflete nos investimentos que estão sendo feitos em equipamentos e sistemas Touchless (sem contato), como os dispositivos que fazem medição de temperatura e detecção de máscaras.

Na avaliação do executivo, quem estava preparado para atender esta demanda, conseguiu manter as operações.  “Temos realizado projetos em diversos segmentos da indústria e também em hospitais, clínicas e shoppings center, que se estenderão ao longo de 2021. A boa notícia é que a segurança eletrônica já tem soluções integradas e o que nós fazemos é ampliar esta capacidade de uso”.

O crescimento do Touchless, sistemas de controle de acesso, biometria e reconhecimento facial geram novas oportunidades para todo o mercado de segurança eletrônica. Não só em razão da pandemia, mas porque essas tecnologias também oferecem mais segurança às pessoas. “Nas empresas que têm centrais de segurança, o sistema de videomonitoramento pode ser feito por apenas uma pessoa de forma efetiva e rápida”, afirma o CCO.

Entre os recentes lançamentos da empresa, o Conecta Security foi desenvolvido para ajudar a melhorar a segurança nas empresas. “O sistema, que unifica os serviços de facilities e vigilância, pode ser aplicado em empresas que já tem 10 postos de vigilância, mas que precisam da  parte eletrônica. Olhamos para as necessidades dos clientes e, principalmente, para a gestão do negócio”, conclui Marques.

Em 2020, a Security expandiu sua atuação com a abertura de quatro filiais (DF, RJ, SC e RS). Os planos continuam sendo de crescimento este ano. A estimativa é aumentar em 20% o faturamento e atingir R$ 500 milhões em receita até 2022.

Comments are closed.